Capa

Território Motorsport

De pai para filho: Nova geração de pilotos da Território Motorsport herda o DNA Off-Road

Pilotos de UTV, Bruno Conti, 16 anos, e Nicole Piano, 14 anos, falam da importância da figura paterna na formação pessoal, assim como nos ralis, e dos planos para o futuro

03.08.2020  |  1.577 visualizações

São Paulo, 3 de agosto de 2020 – Na semana do Dia dos Pais, dois jovens pilotos paulistas já mostraram que vão seguir o mesmo caminho dos pais quando o assunto é rali. Bruno Conti, 16 anos, filho de Rodrigo Luppi, e Nicole Piano, 14 anos, a caçula do multicampeão Edu Piano se apaixonaram pelo esporte e pela categoria que mais cresceu no grid nacional na última década. Ambos pilotam UTVs (Maverick X3 TM), preparados pela equipe, no Campeonato Brasileiro de Rally Baja, pela categoria Start (destinada a pilotos menores de idade que devem estar acompanhados por um navegador habilitado), e herdaram o DNA off-road dos pais pilotos. Por outro lado, os pais se orgulham de criá-los também em um ambiente de competição saudável no qual são exigidos dedicação, empenho e determinação que influenciam diretamente na formação pessoal dessa nova geração.

“Meu pai é uma inspiração tanto na parte pessoal quanto na profissional. É meu ídolo, dá muito duro para me proporcionar todas as coisas para mim. Quero ser igual a ele ou até melhor, é um cara que me dá conselhos e dicas para que eu não cometa os mesmos erros, principalmente no rali. Pai é pai, está sempre me protegendo e ajudando em tudo. O amo muito e representa uma parte gigantesca na minha vida”, elogia Bruno. Luppi também não esconde o orgulho que sente do jovem determinado que o filho se tornou. “O ambiente do rali é sadio, onde podemos levar nossos filhos, ter contato com pessoas decentes que gostam de curtir a natureza e gostam de se confraternizar e isso para o Bruno é muito bom. Ele cresceu como piloto, ganhou maturidade enfrentando novos desafios e conhecendo o Brasil. Estou muito satisfeito, está bem encaminhado e fazendo novas amizades e isto é bom para o crescimento como ser humano também. É muito gratificante ver meu filho compartilhando o mesmo esporte”, explica o piloto que há duas décadas começou no rali.

Nicole poderia continuar no vôlei ou fazendo ballet mas preferiu radicalizar e fazer o esporte que o pai se dedica há mais de 25 anos. “Ele é muito importante para mim, meu pai me apoia demais. Essa vontade que tenho de correr é tudo por causa dele. Desde pequena o assisto nos ralis e fui criando uma vontade de acompanhá-lo, de correr junto com ele. Agradeço muito a ele por tudo, sem ele não estaria competindo, não teria as coisas que tenho e eu o amo muito”, diz a adolescente. “É uma felicidade. Tenho orgulho de ela gostar de andar na terra, uma coisa que sempre amei. É legal vê-la feliz e saber que está se divertindo, porque isso é mais importante. Quem sabe tenha esse esporte como um hobby, para mim começou como divertimento e virou profissão”, destaca Piano, que antes de ser um dos recordistas de títulos (oito vezes campeão) do Sertões, maior rali das Américas, foi jipeiro e fez anos de trilhas pelo Brasil afora. Além de Nicole, o filho mais velho, Nathan, já competiu no Campeonato Brasileiro em 2018, quando tinha 16 anos, aprovou a experiência nos UTVs mas focou no vestibular. “Fiquei contente de o Nathan também ter gostado de pilotar na terra e acredito que logo volte a andar, agora entrou na faculdade este ano e quer se dedicar aos estudos”, completa.

Início com pódios - Bruno estreou no final de 2018 no tradicional Rally dos Amigos, e não parou mais. Em 2019 fez toda a temporada do Brasileiro de Rally Baja e foi vice-campeão da Start com 15 anos. Chegou a liderar o campeonato e teve um ótimo desempenho. “Que temporada foi a do ano passado! Fui Vice-Campeão Brasileiro no primeiro ano. Lutei muito pelo título, mas não deu. E evolui como piloto e aprendi demais!”, afirma o jovem de Vinhedo (SP), que entrou determinado e com pé no chão no campeonato, sabia que o objetivo maior era o aprendizado, ganhar quilometragem e conhecer diversos tipos de terrenos e contou com a navegação de experientes competidores como Fausto Dallape, Flavio Bisi e Maykel Justo.

Em outubro de 2019, também aos 13, Nicole ganhou de Dia das Crianças a inscrição em uma prova do Campeonato Brasileiro (Rally Serra Azul) e o presente veio com um bônus: o pai deixou de competir para navegar para a filha, que por sua vez, conseguiu pilotar pela primeira vez num rali. E a “brincadeira” seguiu adiante e Piano acabou abrindo mão de duas provas e seus pontos no campeonato para poder estar com Nicole. A dupla conquistou dois pódios na Start. “É maravilhoso! Depois que a gente larga não sente calor, nem sede, é muita concentração. É um esporte mais bruto porque são muitos buracos, saltos, poeira, velocidade, mas gosto de aventura, me apaixonei e estou gostando de tudo, até de andar na lama”, diz Nicole que não nega a quem puxou.

Retorno às competições - Devido à pandemia, Bruno e Nicole só conseguiram competir em julho, na segunda prova da temporada 2020 do Brasileiro de Rally Baja, a expectativa era grande para a etapa no interior paulista. Bruno estreou um novo UTV, bem mais potente e com o qual o pai competiu o Sertões e outras provas importantes no ano passado. “O UTV está animal, sensacional e me diverti muito no fim de semana, venci três das quatro Especiais”, disse o piloto que terminou em 2º lugar na categoria e teve Mayel Justo como navegador. “A próxima prova será no final de agosto, o Rally Jalapão. É um lugar incrível o deserto do Jalapão e ano passado tive a oportunidade de andar pela primeira vez lá no Tocantins”, conta o piloto.

Já a piloto de Tatuí (SP) comemorou a sua primeira vitória na Start, em seu terceiro rali. “Não estou acreditando até agora que venci na minha categoria! Foi bem diferente das outras, estava apreensiva mas levei a prova mais na boa, ao lado do Manuel (Ruivo). Nas duas primeiras provas com meu pai, senti uma certa tensão pelos títulos que ele conquistou e ser quem ele é”, explica Nicole. “Este ano quero aprender mais para evoluir na pilotagem, me adaptar melhor ao UTV e torço para que tenham mais mulheres no grid, porque é um esporte para todos”, diz a jovem, que mesmo no início de carreira, já incentiva mulheres a entrarem no esporte, que é dominado por homens.

Em comum, além de crescerem assistindo os pais acelerando nos ralis e subindo aos pódios, também gostam de outros esportes. Bruno também joga tênis enquanto Nicole já praticou vôlei e futebol, mas ambos confessam que o que querem mesmo é continuar acelerando na terra e comendo poeira. Filho de peixe, peixinho é!

Mais informações sobre a equipe: www.territoriomotorsport.com.br, Facebook: @territoriomotorsport4x4, Instagram: @territoriomotorsport e Twitter @territorio4x4

Assessoria de Imprensa – Território Motorsport
MSuzuki Comunicação
Mércia Suzuki – 11 99705-7720 / mercia.suzuki11@gmail.com
Facebook: @msuzukicomunicacao/ Instagram: @msuzukicomunicacao
www.msuzukicom.com.br

Leia também...
18.12.2020

Pai e filho, campeões de rali, treinam nos próximos dias nas dunas do Deserto de Ica

18.12.2020

As duplas Rodrigo Luppi/Maykel Justo, Edu Piano/Solon Mendes e Bruno Conti/Filipe Bianchini estão acelerando no Deserto de Ica como preparação para 2021

14.12.2020

Piloto da Território Motorsport contou com a navegação de Manuel Ruivo e conquistou o título nacional da categoria no Rally Poeira, disputado no último fim de semana em Araçatuba (SP)

12.12.2020

Jovem de Tatuí (SP) faz dupla com Manuel Ruivo. Campeões da temporada do Campeonato Brasileiro de Rally Baja serão conhecidos, neste domingo