Capa

Sertões: Após duas etapas, Fabrício Bianchini/Adhemar Pereira estão em 5º no acumulado da Open

No ano em que comemora 20 participações, Bianchini diz que foi um presente poder pilotar o Bugão V6 4x2. Já o cearense "Índio" estreia na categoria carros em seu 11º Sertões. A etapa 3, desta terça-feira, foi cancelada devido às condições climáticas

03.11.2020  |  386 visualizações

Desafiante o Sertões sempre foi. Nesta 28ª edição, com novo formato e sendo realizado de Bolha e Bolha, obrigou equipes e staff a se adaptarem. Como está sendo realizado em novembro, três meses após do mês de costume, a previsão de chuva era algo esperado e foi o que aconteceu na etapa 2 (2/11) e deu uma apimentada à disputa, justamente na etapa Maratona - que não permite apoio mecânico externo - em alguns trechos a poeira deu lugar à lama.  A bordo do Bugão V6 4x2, a dupla da Bianchini Rally, Fabrício Bianchini (Barueri/SP) e Adhemar Pereira “Índio” (Fortaleza/CE), driblaram as adversidades da etapa, que não foram poucas, e fecham o segundo dia de prova em 5º na Open e 15º na geral dos carros, na Especial que ligou Brasília/DF e Minaçu/GO. Com o resultado estão em 5º no acumulado da categoria e em 14º na geral.

“Foi muita água, frio, chuva, barro, não conseguia enxergar nada, perdemos planilha, que se desintegrou praticamente, no início da Especial. Foi uma aventura, porque tivemos de seguir um pessoal, entramos em zona de radar, ficamos fazendo contas, mas chegamos”, conta Bianchini que completa sua 20ª participação e já passou por muito perrengue, pois a maioria das edições disputou de moto. Nesta 28 edição o piloto diz que foi presenteado por poder pilotar o Buggy V6 Motor Amarok, preparado pela MEM Motorsport.

Muito trial, pedras, descida e subida de serra, piso liso, trechos sinuosos, travessia do Rio Bagagem, ao longo de 353 quilômetros de trechos cronometrados de tirar o fôlego. “Foi a Especial mais difícil de Sertões que peguei da minha vida. Fora as folhas da planilha que grudaram todas e não dava para ler nada”, explica Índio, como é Adhemar é conhecido no off-road , que completa sua 11ª participação e a primeira participação na categoria carros.

Cancelamento da etapa 3 – Nessa terça-feira (3), pela manhã, a organização soltou um comunicado cancelando a segunda parte da etapa maratona que teria 200 quilômetros, por medida de segurança. Devido às condições climáticas que impossibilitaram o voo das aeronaves, que monitoram a prova e também fazem o resgate, a medida foi necessária e os competidores estão se deslocamento pelo asfalto até a Bolha 3, em Campos Belos, ainda no estado goiano. Novas informações serão atualizadas mais tarde no aplicativo ou no site do sertoes.com

Mais informações sobre a equipe: www.bianchinirally.com.br, Facebook @equipebianchinirally e Instagram @bianchinirally. E também no Instagram @memmotorsport A Bianchini Rally conta com patrocínio da ROCK e Shiro e apoio MEM Motorsport, Óculos 100%, O Mundo de Maria, Hupi, Bull Sertões e Rede Petrolam. 

Sertões - Resultado acumulado, após duas etapas

Categoria Open (cinco primeiros)
1) Thiago Rizzo/Leo Magalhães - 9h41m05s
2) Zé Hélio/Lauro Sobreira – 9h55m29s
3) Júlio Capua/Emerson Cavassim – 10h06m16s
4) Carlos Castro/Minae Miyauti – 10h33m43s
5) Fabrício Bianchini/Adhemar Pereira – 10h42m35s

Roteiro completo do Sertões 2020 (sujeito à alterações)

4/11/2020 - quarta-feira
4ª etapa - Bolha 3 / GO a Bolha 4 / TO

Deslocamento inicial: 26 km
Trecho especial: 329 km
Deslocamento final: 295 km
Total: 650 km
O dia começa muito rápido, no estilo das especiais no Campeonato Mundial de Rally (WRC), e fica mais lento quando entra em um trecho com mata-burros, pedras e pontes - em algumas delas haverá radar. O grande desafio será o trecho de 60 km de areia, no qual a navegação será exigida ao máximo. Após o abastecimento, os competidores enfrentarão caminho travado e pontos de trial, em terreno característico de cerrado. Nos últimos 60 km, curvas de altas velocidades e chão com piçarra. 

5/11/2020 - quinta-feira
5ª etapa - Bolha 4 / TO a Bolha 5 / MA
Deslocamento inicial: 99 km

Trecho especial: 227 km
Deslocamento final: 284 km
Total: 610 km
Apesar dos km iniciais travados, a especial imprime altas velocidades em um trecho de areia, ao lado de uma plantação de eucaliptos. O terreno arenoso fica bem mais pesado até a metade do trajeto, quando assume as características do Jalapão, no Tocantins. Os competidores encerram a especial em terreno de piçarra, onde poderão atingir altas velocidades e sentir o prazer da pilotagem. 
  
6/11/2020 - sexta-feira
6ª etapa - Bolha 5 / MA a Bolha 6 / MA
Deslocamento inicial: 128 km

Trecho especial: 300 km
Deslocamento final: 313 km
Total: 741 km
A especial já começa com belas paisagens, por estradas de médias velocidades que vão ficando cada vez mais estreitas e travadas. A partir da metade, o trajeto fica mais rápido, com lombas e depressões. Haverá dois trechos com retas muito longas, de altíssimas velocidades, em terreno de piçarra. No final, será preciso mais atenção para completar a especial em trechos arenosos. 

7/11/2020 - sábado
7ª etapa - Bolha 6 / MA a Barreirinhas (MA)
Deslocamento inicial: 258 km

Trecho especial: 223 km
Deslocamento final: 34 km
Total: 515 km
A organização do Sertões promete deixar a melhor especial para o final. Com prova na areia, a navegação fará toda a diferença. Após um começo travado em piçarras, o trecho fica arenoso à medida que cruza pequenos riachos, os quais estarão secos na época da prova. Após o abastecimento, praticamente na metade da especial, as dificuldades serão extremas por conta da areia e da parte final com navegação por GPS em dunas. Com muitos way points a serem cobertos, qualquer erro pode ser fatal. O final em Barreirinhas promete ser apoteótico, a imagem a ser gravada nas memórias dos participantes. Chegar ao final do Sertões 2020 já será uma grande vitória. 

TOTAL DO PERCURSO: 4.567 km 
TOTAL DE ESPECIAIS: 1.842 km

Leia também...
09.11.2020

Dupla da Bianchini Rally chegou a Barreirinhas, no litoral maranhense, com o lugar garantido no pódio e dever cumprido

05.11.2020

A bordo do Buggy V6 4x2, dupla da Bianchini Rally vem fazendo um rali estratégico e conquistando posições a cada etapa. Nesta quinta-feira o rali passa pelo Jalapão e chega ao Maranhão

01.11.2020

O rali chegou à Bolha1 - Brasília (DF) e, agora, a dupla se prepara para entrar etapa 2/Maratona, que não permite apoio mecânico, a partir desta segunda-feira

31.10.2020

Nesta primeira etapa rumo ao Distrito Federal, uma Especial de 205 quilômetros abra a tomada de tempo para o maior rali das Américas