Capa

SHIRO

Rally dos Sertões: Piloto (SHIRO) Tiago Fantozzi vence a penúltima etapa nas motos

Folly, Cheron, Malassise, Barreira e Nutti completam também a etapa que chegou a Juazeiro do Norte (CE). A grande final acontece, neste sábado, e a Especial promete ser dura, rumo a Fortaleza

25.08.2018  |  929 visualizações

Na penúltima etapa do Rally dos Sertões, o grande destaque foi Tiago Fantozzi #30, 40 anos, que foi o mais rápido entre as motos na 6ª etapa entre São Raimundo Nonato (PI) e Juazeiro do Norte, já no estado cearense. O piloto, apoiado pela SHIRO, completou os 226 quilômetros da Especial em 3h01m42s e cravou o melhor tempo do dia. Os demais pilotos Elias Folly #33, André Cheron #32, Neto Malassise #59, Dimas Barreira #52 e Luiz Fernando Nutti #37 também completam o 6ª dia disputas e  já desbravaram mais de três mil quilômetros pelos quatro estados brasileiros – GO, BA, PI e CE.

“Foi uma Especial sinuosa, lisa e de cascalho. Tive que ficar bem esperto. E como a moto estava em perfeitas condições, e estando na reta final, resolvi soltar um pouco mais e fazer um tempo melhor”, conta Fantozzi, campeão em 2001. “Neste último dia vou fazer uma Especial mais tranquila. O importante é que estou cumprindo o objetivo principal de chegar em Fortaleza por mãos próprias, só eu a moto, sem apoio mecânico”, completa. Nesta 26ª edição Fantozzi se desafiou na inédita categoria Self (o próprio piloto faz a manutenção de sua moto), disputando de igual para igual com pilotos oficiais de fábrica. Dentro da categoria Self, o paulistano é o melhor colocado na Super Production.

O piloto de Londrina/PR Elias Folly #33 (KTM 450 EXC), 41 anos, vem crescendo na prova desde o início. No penúltimo fechou em 2º na Production Aberta e 4º na geral (3h04m38s) e, no acumulado, está em 4o na categoria e 6o na geral. “Etapa complicada. Larguei em 11º e foram bem difíceis as ultrapassagens, por causa da poeira. Um piloto me segurou por uns de 10 quilômetros, quando fui ultrapassar, ele acelerou e voou pedra em mim, como estava na curva, levei um tombo forte, mas não me machuquei e, no final, obtive um resultado bom.”  Folly afirma que o capacete foi essencial na queda: “O capacete da SHIRO é top, além de ter me salvado, tem grandes diferenciais: é leve, não fica jogando o pescoço para trás e sua aerodinâmica é muito boa.”

Na 6ª etapa, o também paranaense Neto Malassise #59 (KTM 450 EXC-F), 39 anos, terminou em 5º na Marathon e 18º na geral (3h19m57s). No acumulado está em 4º na categoria e 16º na geral. “A prova foi bem rápida, bastante navegação e pedra, e deslocamento grande que cansou um pouco. E sigo firme para a última etapa rumo a Fortaleza”, diz o piloto, que faz sua estreia na prova e diz estar realizando um sonho. Já para o paulistano André Cheron #32 (KTM EXC) o penúltimo dia foi difícil. “Errei o caminho no final por sete quilômetros e tive que voltar, perdendo um total de 14. E acabei caindo de posição na categoria”, diz Cheron, 43 anos, que terminou em 11º na Marathon (3h33m52s). No acumulado está em 5º na categoria e 17º na geral. “Para essa última etapa realmente é dia de chegar sem erros. Estou confiante apesar de ser uma Especial dura que exigirá demais”, diz o piloto que está em sua quinta participação.

Já Dimas Barreira #52 (KTM 450 EXC) que fez uma corrida de recuperação completou em 15º Marathon (3h53mn58s), mas tem um motivo a mais para comemorar na última etapa, uma vez que reside em Fortaleza. “É o dia da consagração, de fazer valer tudo o que ralamos nesses dias. Chegar em casa para o abraço dos filhos e para o beijo da esposa.” E o paulista Luiz Fernando Nutti #37 (KTM 450 EXC) chegou em 5º na Over 45 (4h00min10). “Nunca fiz o Sertões com uma equipe tão boa quanto a Bianchini Rally, que faz acontecer e com competência. Estou muito feliz e grato”, ressalta Nutti. “O dia foi bom, muita pedra, subida e descida. E nessa etapa final será um misto de felicidade pela chegada, com um gosto de quero mais”, completa o piloto.

O pentacampeão Zé Hélio #4 teve problemas e não completou a Especial. Os nove pilotos que iniciaram a competição estreando o capacete da SHIRO MX-917, mostraram muita garra. Andres Marcondes e Josemar Ferro se machucaram e foram obrigados a abandonar a prova. “A chegada em Fortaleza será linda e emocionante, com as famílias de alguns participantes esperando na rampa. Os pilotos da SHIRO estão de parabéns pela garra e desempenho até aqui”, diz Marcos Finato, diretor executivo da SHIRO Brasil, que está acompanhando a prova.

A 7ª e última etapa deste sábado vai de Juazeiro do Norte/CE para Fortaleza/CE, com chegada na Praia de Iracema. Serão 656 quilômetros, com 200 de Especial, que começa com um trecho de trial bem sinuoso e estreito, com muitas pedras, onde qualquer erro pode custar caro. O percurso terá muitas barragens estreitas, rios secos e a Especial continua dura até o final.

SHIRO Brasil - Representada pela TWP, a SHIRO Brasil, nasceu a partir de uma conversa informal entre dois amigos apaixonados por motos e off-road. A intenção era oferecer um produto de design inovador e de qualidade foi então que decidiram trazer a marca espanhola de capacetes SHIRO Helmets para o mercado nacional. A empresa foi constituída em fevereiro de 2017, mas apresentada ao mercado em novembro do mesmo ano, durante o Salão de Duas Rodas. Aliou-se a experiência de Marcos Finato em gerir grandes negócios, aos 20 anos de Théo Lopes no mercado de duas rodas e a vasta expertise de Luciana Barreto no setor de Relações Internacionais, também no segmento. A SHIRO foi fundada há 25 anos por Antonio Tomás, na região de Múrcia, na Espanha, a marca está presente em mais de 70 países.

Roteiro 26ª edição Rally dos Sertões (19 a 25/8)

Sábado (25/08) _ Etapa Final
7ª Etapa: Juazeiro do Norte (CE) – Fortaleza (CE)

Total do dia: 654 km (200 km trecho cronometrado)

Assessoria de Imprensa SHIRO Brasil
MSuzuki Comunicação
Mércia Suzuki (11 99705-7720 /mercia.suzuki11@gmail.com.br)
Deborah Ferreira (11 97252-2360 /
deborahritaferreira@gmail.com)
www.msuzukicom.com.br

Leia também...
20.09.2019

Pelo segundo ano consecutivo no maior rali das Américas, a marca espanhola de capacetes passou pelo "teste de fogo" de uma das provas mais casca grossa do país e comprovou sua segurança e conforto

04.09.2019

Bicampeão nas motos no maior rali das Américas, o piloto da Honda Racing aprovou os diferenciais do capacete espanhol

27.08.2019

Piloto mineiro da equipe Honda Racing confirma excelência do capacete também no maior rali das Américas

25.08.2019

Além de vencer na categoria, Maciel foi o 2º mais rápido da geral. Já, Bissinho Zavatti fratura osso do pé e está fora da disputa. Este é o segundo ano consecutivo que a marca espanhola está no grid do maior rali das Américas