Capa

SHIRO

Pilotos SHIRO vencem em suas categorias na segunda etapa do Sertões

Thiago Veloso, na Brasil, e Maurício Fernandes, na Over 45, são destaques. Na geral da etapa 2, Bissinho Zavatti conquista o 4º melhor tempo e Tunico Maciel, o 5º

03.11.2020  |  458 visualizações

Dois pilotos da SHIRO, marca espanhola de capacetes representada no país pela TWP, no Sertões venceram em suas categorias nesta 2ª etapa e lideram no acumulado. Nesta segunda-feira (2), os competidores saíram de Brasília (DF) e chegaram a Minaçu (GO) para fechar a primeira parte da Maratona no maior rali das Américas. Thiago Veloso #58 (Honda CRF 250F) foi o mais rápido na Brasil e completou a Especial (trecho cronometrado) de 353 quilômetros, em 5h51m17s, e lidera na categoria no acumulado. Já Maurício Fernandes #49 (Husqvarna FE 450) venceu na Over 45, com um tempo de 6h03m11s, e após duas etapas é o líder da categoria.

Vice-líder na geral acumulada, o paulista Bissinho Zavatti #11 (Honda CRF 450 RX) completou em 4º na geral o trecho cronometrado (5h44m24s). Logo atrás, em busca do tricampeonato no Sertões, o mineiro Tunico Maciel #1 (Honda CRF 450 RX) fechou em 5º na geral e 2º na Moto 1 (5h47m14s) e é o 3º colocado na geral no acumulado.

Maciel elogiou a prova apesar das dificuldades: “Muito boa a Especial. Pegamos chuva, lugares lisos, alguns momentos de perigo”. E explica o perrengue que o fez perder alguns preciosos minutos. “Um arame enrolou na minha roda, demorei muito para tirar, mas são imprevistos que acontecem em um rali”, afirma o mineiro. Com 26 anos, Maciel está no seu 5º Sertões e já conquistou dois títulos na geral das Motos, em 2019 e 2018.

A SHIRO também está com seis pilotos da Bianchini Rally/Power Husky, entre eles, Maurício Fernandes, que após duas etapas lidera na Over 45 e subiu na classificação. “Recuperamos umas posições. Foi um dia puxado, cansativo, com muita lama na serra, com trechos lisos e tivemos a travessia do Rio Bagagem que foi um pouco tenso. Mas deu tudo certo, completamos a etapa Maratona e chegamos bem”, explica o piloto paulista, que está em sua 8ª participação e retornou ao grid após 15 anos. Rodrigo Montemor (Husqvarna FE450) #39 fechou em 10º na Moto 2), André Guerra (Husqvarna FE501) #46 foi o 6º na Moto 1, Vinícius Rodrigues (Honda CRF 250F) #36 fez o 9º tempo da Brasil e Guto Bogo (Husqvarna FE501) #47 não completou.

Colvero cai de 5 metros e elogia a segurança da SHIRO - O capacete é um dos principais itens de segurança e a SHIRO já passou pelo severo teste do Sertões em algumas situações. No sábado (31), Marcos Colvero #42 (Husqvarna FE 501) sofreu uma queda num abismo durante a 1ª etapa. “Sofri uma queda forte e acabei rolando em uma ribanceira de pedras de aproximadamente 5 metros de altura. Despenquei me chocando com as pedras até cair no rio”, conta o piloto gaúcho, que completa: “Senti na prática a importância de equipamentos de segurança de alta qualidade e o capacete SHIRO cumpriu sua função de forma impecável”, elogia Colvero, que está em seu 7º Sertões. O competidor da Bianchini rally/Power Husky está bem mas preferiu se recuperar melhor e optou por não fazer a 2ª etapa, mas retorna à disputa nesta terça-feira.

Na 3ª etapa, os competidores seguem para a última parte da Maratona. Depois de mais de 500 quilômetros na segunda-feira, encaram, nesta terça (3), um trecho total de 369 quilômetros e uma Especial de 200. Na Maratona, os pilotos não podem receber apoio mecânico externo e qualquer ajuste nos veículos deve ser feito por eles mesmos.

Com recorde de inscritos e um esquema especial de Bolhas por causa da pandemia, o Sertões deste ano passa por 5 estados: SP, MG, GO, TO E MA, além do DF.

Excelência em capacetes – Com sede em Múrcia, na Espanha, a SHIRO Helmets foi fundada em 1993 por Antonio Tomás. Atualmente está presente em mais de 80 países. Além de fabricar capacetes de tecnologia inovadora, trabalha com uma linha de acessórios para motociclistas. Aprovada por campeões europeus, a marca patrocina competidores no Campeonato Mundial de Motovelocidade e no Motocross MX2. Assim, utiliza a tecnologia adquirida nas pistas e no off-road nos mais inovadores projetos do mercado. Já a SHIRO Brasil nasceu em 2017 e é comanda por Marcos Finato, Théo Lopes e Luciana Barreto da TWP. Atualmente os principais modelos comercializados são: SH-881SV (City), SH-600 (Strada), SH-336 (Racing) e MX-917 (Off-Road). Desde 2018 apoia pilotos nos campeonatos de Rally Cross Country (Tunico Maciel e Bissinho Zavatti), Enduro de Regularidade (Tunico Maciel e Dário Júlio), Motocross e Arena Cross (Paulo Aberto, Humberto Martin, Rafael Araújo “Bubinha”, Juninho Tayt-Sohn, Fábio Rogério, Roosevelt Assunção e Leonardo Cassarotti) e SuperBike (Rafael Rigueiro, Lincoln Melo e Fabio Puccini). A marca tem uma equipe de representantes em todo o território nacional e os produtos podem ser encontrados nas melhores lojas do Brasil, tanto físicas quanto online.

Resultado 2ª ETAPA – Motos (EXTRAOFICIAL)

CLASSIFICAÇÃO GERAL  (2/11)
1º Ricardo Martins – 05:39:42
2º Vitor Pinheiro Siqueira – 05:43:00
4º Bissinho Zavatti #11 – 05:44:24
5º Tunico Maciel #1 – 05:47:14
8º Thiago Veloso #58 – 05:51:17

CATEGORIA OVER 45
1º Maurício Fernandes #49 – 06:03:11
2º Osmar Shimosaka – 06:12:19
3º Leandro Mokfa – 06:17:57

Resultado Acumulado após duas etapas– Motos (EXTRAOFICIAL)

CLASSIFICAÇÃO GERAL
1º Ricardo Martins – 09:29:24
2º Bissinho Zavatti #11 – 09:33:42
3º Tunico Maciel #1 – 09:37:13
4º Tulio Malta – 09:38:38
8º Thiago Veloso #58 – 09:46:49

CATEGORIA OVER 45
1º Maurício Fernandes #49 – 10:07:26
2º Osmar Shimosaka – 10:13:18
3º Maurício Ghiraldelli – 10:33:51

Resultados completos em: https://resultados.sertoes.com/

Roteiro Sertões 2020 (30/10 a 7/11)

3/11/2020 - terça-feira

3ª etapa - Bolha 2 / GO a Bolha 3 / GO - 2ª parte Maratona "Paulo Gonçalves"
Deslocamento inicial: 0 km
Trecho especial: 200 km
Deslocamento final: 169 km
Total: 369 km
Na segunda parte da Etapa Maratona, o homenageado será o piloto português de motocicleta Paulo Gonçalves, que faleceu após um acidente no Rally Dakar 2020. O dia promete ser bem completo, mesclando velocidades altas, médias e baixas. Apesar dos 10 km iniciais bem velozes, a especial logo entra em uma dura subida de serra, com muitas pedras, depressões, pontos sem visão e trechos sinuosos com abismos dos dois lados. Após muito sobe e desce, na metade da especial, por volta do km 100, haverá uma longa descida. O piso terá fesh fesh e exige cautela nas ultrapassagens. Os competidores passarão por dois grandes rios com pedras e vão encarar uma serra íngreme no final, por região não povoada e solo com muitas pedras e cascalhos. 

4/11/2020 - quarta-feira
4ª etapa - Bolha 3 / GO a Bolha 4 / TO
Deslocamento inicial: 26 km
Trecho especial: 329 km
Deslocamento final: 295 km
Total: 650 km
O dia começa muito rápido, no estilo das especiais no Campeonato Mundial de Rally (WRC), e fica mais lento quando entra em um trecho com mata-burros, pedras e pontes - em algumas delas haverá radar. O grande desafio será o trecho de 60 km de areia, no qual a navegação será exigida ao máximo. Após o abastecimento, os competidores enfrentarão caminho travado e pontos de trial, em terreno característico de cerrado. Nos últimos 60 km, curvas de altas velocidades e chão com piçarra. 

5/11/2020 - quinta-feira
5ª etapa - Bolha 4 / TO a Bolha 5 / MA
Deslocamento inicial: 99 km
Trecho especial: 227 km
Deslocamento final: 284 km
Total: 610 km
Apesar dos km iniciais travados, a especial imprime altas velocidades em um trecho de areia, ao lado de uma plantação de eucaliptos. O terreno arenoso fica bem mais pesado até a metade do trajeto, quando assume as características do Jalapão, no Tocantins. Os competidores encerram a especial em terreno de piçarra, onde poderão atingir altas velocidades e sentir o prazer da pilotagem. 
  
6/11/2020 - sexta-feira
6ª etapa - Bolha 5 / MA a Bolha 6 / MA
Deslocamento inicial: 128 km
Trecho especial: 300 km
Deslocamento final: 313 km
Total: 741 km
A especial já começa com belas paisagens, por estradas de médias velocidades que vão ficando cada vez mais estreitas e travadas. A partir da metade, o trajeto fica mais rápido, com lombas e depressões. Haverá dois trechos com retas muito longas, de altíssimas velocidades, em terreno de piçarra. No final, será preciso mais atenção para completar a especial em trechos arenosos. 

7/11/2020 - sábado
7ª etapa - Bolha 6 / MA a Barreirinhas (MA)
Deslocamento inicial: 258 km
Trecho especial: 223 km
Deslocamento final: 34 km
Total: 515 km
A organização do Sertões promete deixar a melhor especial para o final. Com prova na areia, a navegação fará toda a diferença. Após um começo travado em piçarras, o trecho fica arenoso à medida que cruza pequenos riachos, os quais estarão secos na época da prova. Após o abastecimento, praticamente na metade da especial, as dificuldades serão extremas por conta da areia e da parte final com navegação por GPS em dunas. Com muitos way points a serem cobertos, qualquer erro pode ser fatal. O final em Barreirinhas promete ser apoteótico, a imagem a ser gravada nas memórias dos participantes. Chegar ao final do Sertões 2020 já será uma grande vitória. 

Total percurso: 4.567 km 
Total de trechos cronometrados (Especiais): 1.842 km

Informações para imprensa:
MSuzuki Comunicação
Mércia Suzuki – 11 99705-7720 / mercia.suzuki11@gmail.com
Gabriel Tieppo – 11 99798-5484 / gabrielmtieppo@gmail.com
www.msuzukicom.com.br

Leia também...
09.11.2020

Tunico Maciel não resiste aos ferimentos do acidente da última etapa do Sertões

08.11.2020

Bissinho Zavatti (Moto 2), Thiago Veloso (Brasil) e Maurício Fernandes (Moto Over) são campeões desta 28ª edição. O bicampeão Tunico Maciel sofre acidente e está hospitalizado na capital maranhense

06.11.2020

O bicampeão está a 4min3seg do líder na acumulada das motos. Fernandes (Moto Over) e Veloso (Brasil) também venceram a Etapa 5. Nesta sexta-feira, a prova foi cancelada devido às condições climáticas

05.11.2020

O mineiro ocupa a vice-liderança na geral no acumulado. Bissinho Zavatti, na Moto 2, e Thiago Veloso, na Brasil, levam a melhor. Segundo na etapa pela Moto Over, Maurício Fernandes segue líder na categoria.